top of page

Vela brasileira estreia no Mundial de 470



O Campeonato Mundial de 470 teve início nesta segunda-feira (24) no Sdot Yam Sailing Club, na costa do Mediterrâneo, em Israel.


A competição conta com 60 barcos de 20 países. O Brasil está representado por quatro duplas mistas no tradicional evento da classe, que a partir de Paris 2024 passa a ser tripulada por um homem e uma mulher.


O melhor desempenho do dia entre os brasileiros foi dos gaúchos Rodrigo Duarte e Ana Barbachan na sétima colocação. Os dois venceram uma das regatas e somam 8 pontos perdidos. A liderança é da dupla alemã Luise Wanser e Phillip Autenrieth com 3 pontos perdidos.


Os baianos Juliana Duque e Rafael Martins estão em 23º depois de tirar um 5º, 11º e 19º. Os cariocas Henrique Haddad e Isabel Swan em 34º com 18º, 30º e 10º. E os gaúchos Fernanda Oliveira e Rodolfo Streibel em 36º com as posições de 14º, 31º e 15º.


O dia começou com vento fraco, com a última regata batendo 15 nós de vento, considerada de intensidade média.


''Os resultados de hoje foram muito bons, mesmo sendo um dia difícil! Estamos bem felizes com nosso desempenho do dia e sobretudo com os itens que conseguimos melhorar durante os nossos treinos nos últimos meses!'', disse Ana Barbachan. ''Aqui em Israel deu tempo de ajustarmos bem o barco e treinar bastante''.



Antiga parceira de Ana Barbachan desde Londres 2012 até Tóquio 2020, a velejadora Fernanda Oliveira mudou a dupla por causa da nova regra olímpica. A timoneira gaúcha é a mais experiente de toda a flotilha de 470 em Sdot Yam.


Fernanda Oliveira é medalhista de bronze na classe em Pequim 2008 e representou o Brasil no 470 em todas as Olimpíadas desde Sydney 2000 até a última.


Enquanto Fernanda Oliveira corre o Mundial ao lado do conterrâneo Rodolfo Streibel, duas das antigas tripulações olímpicas da atleta, Isabel Swan e a já citada Ana Luiza Barbachan, também competem em Israel.


''Nosso objetivo é classificar todas as quatro equipes para a flotilha ouro. Será difícil, mas todos têm chances disso. O primeiro dia foi clássico, encontramos as condições que havíamos enfrentado nos treinos'', disse Ricardo Paranhos, chefe de equipe brasileira no Sdot Yam Sailing Club.


Parte da equipe chegou a Israel na semana retrasada para os treinamentos do Mundial de 470. A competição vai até sábado (29).


O Brasil tem tradição na 470. Em Moscou 1980, Marcos Soares e Edu Penido conquistaram a medalha de ouro, a segunda da história do país em Jogos Olímpicos.


Além disso, o primeiro pódio feminino da modalidade foi obtido em Pequim 2008 com Fernanda Oliveira e Isabel Swan.


O 470 está no programa olímpico desde Montreal 1976. É um barco com 4.70 m de comprimento, 4.40 m de comprimento na linha de água, 1.68 m de largura e mastro de 6.78m. Tem três velas de área 9.12 m², 3.58 m² e 14.30 m².


Foi inventado em 1963 pelo francês André Cornu e o seu casco é construído em fibra de vidro com peso total de 120 Kg, inclusa a mastreação e as velas. É um classe projetada para dois tripulantes (comandante e proeiro). O peso combinado ideal da tripulação é de 110–145 kg.


Sobre a CBVela


A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB).


A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: oito. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 19 medalhas em Jogos Olímpicos.


Comments


bottom of page