top of page
Blue Ocean Elegant YouTube Channel Art (8).png

Santiago 2023: Brasileiros disparam na liderança na vela no Pan


As regatas dos Jogos Pan-Americanos de Santiago 2023 foram retomadas nesta segunda-feira (30) após o cancelamento do dia anterior. E os resultados para os brasileiros foram positivos nas classes Formula Kite, com Bruno Lobo, e na 49er FX, Martine Grael e Kahena Kunze. Os velejadores venceram todas as provas disputadas no dia, que teve ventos fortes no Oceano Pacífico.


Campeão em Lima 2019, Bruno Lobo disparou na liderança da Fórmula Kite superando os adversários nas quatro regatas. O atleta maranhense chegou em primeiro em sete das oito disputas até agora. O único resultado negativo, um DNF no sábado (28), foi descartado.


Serão realizadas 16 regatas no Fórmula Kite até a decisão, os chamados mata-matas. Se Bruno Lobo fechar em primeiro precisará vencer apenas uma regata em cada fase para ser campeão.


''Pra gente do Fórmula Kite deu condições boas, né? Estava ali em torno de 15 a 17 nós com bastante mar, bem mexido. E me senti bem, consegui ser consistente, fazer boas largadas e boas decisões. Foi um dia sólido. Mas ainda tem metade da fase de classificação pela frente'', disse Bruno Lobo, atleta já classificado para Paris 2024 no kite.


Bruno Lobo soma 6 pontos contra 14 do norte-americano Markus Edegran e 16 do dominicano Deury Cornier.  Ao todo, nove atletas estão inscritos no Fórmula Kite em Santiago 2023. Na versão feminina, Maria do Socorro Reis, também do Maranhão, está em quarto lugar após oito regatas, e 8 pontos atrás da colombiana Maria Lizeth Rojas, que é a terceira.


Quem também brilhou foi a dupla Martine Grael e Kahena Kunze na 49erFX. As bicampeãs olímpicas e atuais campeãs pan-americanas fecharam o dia com 100% de aproveitamento. ''Dia bastante bom pra gente. É um luxo velejar nessas condições. A sincronia está boa entre nós duas e é isso bom! Bastante regata ainda pela frente, então é manter o foco'', contou Kahena Kunze.


As brasileiras lutam para confirmar a vaga em Paris 2024 na classe 49er FX. Na versão masculina, Marco Grael e Gabriel Simões estão em quinto com 21 pontos em seis regatas. A dupla líder é a norte-americana Ian Barrows e Hans Henken.


A Equipe Brasileira de Vela é composta ao todo por 17 atletas. As regatas começaram no sábado (28) com as bicampeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze na liderança da 49erFX e o maranhense Bruno Lobo na ponta da Fórmula Kite.


Na Nacra 17, os finalistas olímpicos Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino Sá estrearam e estão em segundo lugar na tabela com 4 pontos. Os líderes com 100% de aproveitamento são os argentinos Mateo Majdalani e Eugenia Bosco.


Na Snipe, a dupla Juliana Duque e Rafa Martins está em terceiro e na Lightning, Thomas Sumner, Ana Barbachan e Larissa Juk ocupam a sétima colocação.


Na IQFoil, classe de prancha à vela dos Jogos Pan-Americanos, Mateus Isaac está em terceiro lugar e Bruna Martinelli em quarto com nove regatas para cada gênero.


Bruno Fontes na ILCA 7 segue em busca de pódio. O catarinense agora é o quinto colocado, mas embolado com outros cinco velejadores pela segunda posição na tabela. O peruano Stefano Peschiera lidera com folga.


No ILCA 6, Gabriella Kidd é a sétima no geral com 26 pontos em cinco regatas. A líder é a norte-americana Erika Reineke com apenas 4 pontos.


Acompanhe o tracking das regatas  - Livestream e Resultados


A vela do Brasil defende a liderança histórica do quadro geral de medalhas da olimpíada das Américas. Ao longo destes 72 anos, foram 85 medalhas, sendo 39 ouros, 27 pratas e 19 bronzes.


Nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, o país levou cinco medalhas de ouro, duas de prata e duas de bronze para a equipe brasileira de vela.


Equipe Brasileira de Vela


49erFX: Martine Grael e Kahena Kunze


49er: Marco Grael e Gabriel Simões


Snipe: Juliana Duque e Rafa Martins


Nacra 17: Samuel Albrecht e Gabriela Sá


Lightning: Thomas Sumner, Ana Barbachan e Larissa Juk


ILCA 7: Bruno Fontes


ILCA 6: Gabriella Kidd


Fórmula Kite: Bruno Lobo e Maria do Socorro Reis


IQFoil: Mateus Isaac e Bruna Martinelli





Comissão técnica


Head Coach – Torben Grael


Chefe de Equipe – Claudio Biekarck


Rules Advisor – Ricardo Blu Lobato


Líder Equipe Multidisciplinar – Tânia Sampaio


Técnicos: Bruno Prada, Martha Rocha e Ricardo Paranhos


Apoio à vela Jovem


A vela brasileira tem como destaque o Núcleo de Base do programa da Confederação Brasileira de Vela - CBVela junto ao Ministério do Esporte pelo Convênio 920223/2022.


O projeto ajuda no fomento à modalidade desde o ano passado. Sede da Rio 2016 e de outros grandes eventos da vela, a Marina da Glória, na capital fluminense, recebe adolescentes entre 13 e 17 anos para treinos visando eventos nacionais e internacionais da Vela Jovem. Outros campings de treinamento foram realizados no Clube Naval Charitas, em Niterói (RJ).


O trabalho leva jovens atletas a se aperfeiçoarem na modalidade, com o propósito de levá-los ao alto-rendimento, incluindo participações em classes olímpicas e pan-americanas.


Sobre a CBVela


A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB), além de ter o Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) como parceiro no fomento à Vela nacional.


A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: oito. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 19 medalhas em Jogos Olímpicos.


A CBVela foi a primeira confederação esportiva brasileira a integrar a Rede Brasil do Pacto Global da ONU e a incorporar a agenda global da sustentabilidade - a Agenda 2030, com seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) - ao seu planejamento estratégico.



bottom of page