top of page

Escoteiros do Brasil fazem travessia com veleiro doado pela PF e Marinha


Os Escoteiros do Brasil terão pela frente uma expedição inédita pelo Atlântico. Uma equipe de três velejadores voluntários do Movimento Escoteiro fará uma travessia da Base Naval de Natal (RN) até o porto de Paranaguá (PR). A navegação deve durar mais de 30 dias.


O trio navegará pela costa brasileira em uma embarcação doada pela Justiça Federal e pela Marinha do Brasil. O veleiro Lamia de 51 pés foi apreendido pela Polícia Federal em 2021. Desde então, os Escoteiros do Brasil, com apoio da Marinha, começaram as negociações junto à Justiça Federal e ao Ministério Público Federal para a doação do veleiro.


A transferência, por ora provisória, logo deverá se tornar definitiva. O barco será um veleiro-escola no futuro.  ''A intenção é que durante as paradas, nós possamos promover um momento de visitação ao veleiro para escoteiros locais, sejam jovens ou adultos''.


''Essa navegação pela costa do Brasil é algo inédito para os Escoteiros do Brasil e gostaríamos que todos pudessem se sentir parte, de alguma forma'', disse Marco Antônio Bortoli, coordenador da expedição. No barco estará também João Basili e Gutemberg Martins.


A oficialização da doação do veleiro Lamia para os Escoteiros do Brasil foi realizada nesta terça-feira (7) em Natal (RN). Participou da cerimônia o comandante da Base Naval de Natal e capitão de Mar e Guerra, Carlos Macedo.


O Movimento Escoteiro foi fundado em 1907, na Inglaterra, por Baden-Powell, e chegou ao brasil em 1910.


No Brasil, os praticantes do Escotismo são divididos em três modalidades sendo elas a modalidade básica; a modalidade do ar; e a modalidade do mar.


A Modalidade do Mar existe desde 1921 e é caracterizada pela ênfase na realização de atividades aquáticas, buscando desenvolver nos jovens o gosto pela vida náutica, pelas artes e técnicas marinheiras, a navegação à vela e a motor, viagens e transportes náuticos, pesca, estudo da oceanografia, realização de esportes náuticos e submarinos, entre outros.

Comments


bottom of page