top of page
Blue Ocean Elegant YouTube Channel Art (8).png

Brasileiros estreiam bem no Mundial da Juventude de Vela



A 52ª edição do Mundial da Juventude foi aberta nesta segunda-feira (11), em Búzios (RJ), com mais de 400 atletas de 19 anos de 62 nações. As regatas foram realizadas com chuva e ventos de fraca para média intensidade no litoral fluminense, que sedia o evento pela segunda vez na sua história.


Após muita espera em terra, a nova geração da vela mostrou que não tinha tempo a perder. As primeiras provas tiveram suas largadas já às 11h e as últimas terminaram às 17h. Com cronograma de mais de 140 regatas até a próxima sexta-feira (15), World Sailing e CBVela aproveitaram as condições ideais das raias de Manguinhos, Feia e Branca para abrir o campeonato.


A Equipe Brasileira de Vela defende uma história de sucesso na competição, que revelou campeões olímpicos, pan-americanos e mundiais como Robert Scheidt, Martine Grael, Kahena Kunze e Ricardo Winicki. O time conta com 13 atletas nas regatas promovidas no Iate Clube de Búzios e no Búzios Vela Clube.


Os resultados de estreia mostram que o camping de treinamento da CBVela realizado semanas atrás na mesma raia do mundial surtiu efeito. Destaque para a dupla do 420 feminino formada por Joana Gonçalves e Gabriela Vassel. As brasileiras venceram as duas regatas do dia e lideram o campeonato na classe que coroou Martine e Kahena na edição de 2009. 


As duas se recuperaram nas regatas após largadas mais lentas, passando atrás da flotilha. Mas já na primeira de popa, com a escolha do lado direito, Joana e Gabriela controlaram as adversárias, principalmente as gregas, apontadas como favoritas ao título do Mundial da Juventude.


''Tivemos um dia positivo aqui em Búzios! Estávamos rápidas nas regatas e usamos o vento a nosso favor. É dia após dia esse campeonato, hoje foi muito bom, mas amanhã tem muito mais'', contou Joana Gonçalves.


Na 420 mista, mais um resultado positivo com Lucas Freitas e Victoria Back em quarto lugar, enquanto os italianos Quan Cardi e Mattia Tognocchi lideram. ''Hoje tivemos um ótimo dia, com condições bem difíceis, bastante ondas, um vento mais fraco e a competição muito forte, mas conseguimos conquistar todas as nossas expectativas. E queremos seguir assim'', contou Victoria Back. 


Na classe 29er, os catarinenses Guilherme Menezes e Fernando Menezes abriram o Mundial da Juventude em segundo lugar na tabela após três provas. Os atletas estão atrás apenas dos franceses Karl Devaux e Hugo Revil.


Para Fernando Menezes, a dupla soube aproveitar o conhecimento da raia para ficar entre os primeiros. ''A gente está em segundo em uma condição muito difícil, que está variando muito em intensidade de direção. Conseguimos fazer boas regatas mesmo assim. Agora é tentar manter a intensidade para amanhã e fazer o nosso melhor. Tem que estar sempre atento, não pode desligar nenhum momento da regata''.


Na 29er feminina, as polonesas Ewa Lewandowska e Julia Maria Zmudzinska dominaram as regatas com 100% de aproveitamento. As jovens brasileiras Clara Meyer Cardoso e Lívia Valduga Nogueira estão na 21ª posição.


Na ILCA, classe que elevou a status de ídolo, o paulista Robert Scheidt, Felipe Fraquelli está na disputa fechando em quinto lugar no primeiro dia. O atleta oscilou na primeira prova, mas na outra chegou em segundo. A ponta é do holandês Hidde Scharaffordt.


No feminino, a caçula do time, Valentina Roma, de apenas 14 anos, é a 18ª. Na segunda prova do dia, a atleta pernambucana andou entre as Top 10. A croata Petra Marendic está em primeiro lugar. Serão realizadas nove regatas para ambos os gêneros.


Na IQFoil feminina, a brasileira Sofia Rocha está em 17º lugar após quatro regatas disputadas na raia de Manguinhos. A ponta é da neozelandesa Aimee Bright. Na versão masculina, sem brasileiros, o melhor do dia foi Noé Garandeau.


A classe Fórmula Kite não teve regatas na abertura do Mundial. O representante brasileiro é Lucas Fonseca.  Já na Nacra 15, Alex Kuhl e Alexia Buuck estão em oitavo.Os melhores até agora são os norte-americanos Cody Roe e Brooke Mertz. 


A Energisa é a patrocinadora oficial da Equipe Brasileira de Vela Jovem na disputa do Mundial da Juventude de Búzios 2023 por meio da Secretaria de Esporte e Lazer - Governo do Estado do Rio de Janeiro.


A marca francesa de dermocosméticos Avène é patrocinadora da CBVela - Confederação Brasileira de Vela. O acordo passa a valer a partir do mês de dezembro de 2023 e terá duração de 13 meses.



Resultados da Equipe Brasileira de Vela Jovem

420 Open: Lucas Freitas e Victoria Back - 4º

420 feminino: Joana Gonçalves e Gabriela Vassel - 1ª

29er masculino: Guilherme Menezes e Fernando Menezes - 2º

29er feminino: Clara Meyer Cardoso e Lívia Valduga Nogueira - 21ª

Nacra 15: Alex Kuhl e Alexia Buuck - 9º

ILCA 6 masculino: Felipe Fraquelli - 5º

ILCA 6 feminino: Valentina Roma - 12ª

Kitesurf masculino: Lucas Fonseca - sem regata

iQFoil feminino: Sofia Rocha - 17ª


Apoio à vela Jovem


A vela brasileira tem como destaque o Núcleo de Base do programa da Confederação Brasileira de Vela - CBVela junto ao Ministério do Esporte pelo Convênio 920223/2022.

O projeto ajuda no fomento à modalidade desde o ano passado. Sede da Rio 2016 e de outros grandes eventos da vela, a Marina da Glória, na capital fluminense, recebe adolescentes entre 13 e 17 anos para treinos visando eventos nacionais e internacionais da Vela Jovem. Outros campings de treinamento foram realizados no Clube Naval Charitas, em Niterói (RJ). 


O trabalho leva jovens atletas a se aperfeiçoarem na modalidade, com o propósito de levá-los ao alto rendimento, incluindo participações em classes olímpicas e pan-americanas.


Sobre a CBVela


A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB).


A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: oito. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 19 medalhas em Jogos Olímpicos.


​Foto: Heusi Action | CBVELA


bottom of page