top of page

Brasil terá seu segundo barco em uma volta ao mundo



O Brasil terá um time na regata de volta ao mundo Globe 40, considerada o mais forte desafio em duplas do esporte. Comandado pelos velejadores José Guilherme Caldas e Luiz Bolina, o veleiro Barco Brasil está confirmado na temporada 2025/26, com início previsto para setembro do próximo ano.


A Globe 40 é disputada com barcos da Classe 40, monocasco de referência para regatas oceânicas. A primeira edição do evento foi concluída em 2023 e teve 54.000 milhas navegadas passando por todos os mares do mundo, inclusive com uma stopover no Brasil.


Esta será a segunda campanha brasileira oficial numa volta ao mundo, relembrando o pioneirismo do Brasil 1 na Volvo Ocean Race. Há 19 anos, Torben Grael liderou o barco na disputa pelos mares do mundo.


”O projeto será 100% brasileiro e vamos treinar no país e participar de várias competições como a Refeno – Recife Noronha, Semana de Vela de Ilhabela e os principais circuitos de vela do Brasil e até do mundo”.


”Acompanhei a primeira edição da Globe 40 e é uma regata feita para mim! Já atravessei 21 vezes o oceano atlântico e velejei pelo Pacifico mas o sonho de dar a Volta ao Mundo está prestes a se realizar. Com 65 anos será um bom encerramento da minha carreira como velejador transoceânico em duplas”, completou o médico José Guilherme Caldas.


O barco Class40 n°151 está em La Coruña, na Espanha, no estaleiro do Roberto Bermudez, mais conhecido como Chunny Bermudez. O espanhol é atleta olímpico e esteve no projeto Brasil 1 ao lado de Torben Grael e equipe.


As bases do projeto Barco Brasil são Ilhabela (SP), Salvador (BA) e La Coruña. A dupla disputará vários eventos ao longo dos próximos anos apresentando o projeto para a comunidade náutica. A primeira delas será a Regata Ubatuba-Ilhabela, uma travessia de pouco mais de 20 milhas no litoral paulista, no dia 31 de maio.


Para a disputa, a dupla usará o veleiro Barco Brasil – Tutatis de Luiz Bolina, adesivado com a marca e as cores do projeto de volta ao mundo.


A dupla


Um dos responsáveis pelo projeto, o médico José Guilherme Caldas tem experiência em longas regatas. Com o seu Mussulo 40, o angolano naturalizado brasileiro disputou a regata Cape 2 Rio, da Cidade do Cabo ao Rio de Janeiro, em 2017 e em 2020, esta última obtendo o primeiro lugar geral, mesmo estando em dupla. Regatas transoceânicas em dupla como a Transat Jacques Vabre, duas vezes, Atlantic Cup, RORC 600, Sables – Horta – Sables fazem parte do currículo do velejador.


Seu parceiro na Globe 40 será Luiz Bolina, que também tem no currículo inúmeras viagens oceânicas, inclusive em solitário, e é profissional na área de charter. Bolina é também praticante e dá aulas de Wingfoil em Ilhabela (SP).


Para o projeto do Barco Brasil, foi criada uma identidade visual pela agência On Board Sports, que cuidará de toda a comunicação e marketing do Barco Brasil na volta ao Mundo Globe 40.


A marca apropria-se de elementos da cultura náutica e das cores da bandeira nacional para representar a relação do projeto com a nossa tradição vitoriosa na Vela. Também traduz a vibração, alegria e as belezas naturais do País.


”A intenção é promover o Brasil nas paradas ao redor do mundo da Globe 40. Usamos referências históricas da vela nacional, como o vitorioso Brasil 1, de Torben Grael, que elevou ainda mais o nível da nossa vela oceânica para o planeta”.


”A vela é uma modalidade que sempre rende pódios em Olimpíadas e cresceu muito no offshore com nossos ídolos ganhando regatas internacionais também na vela oceânica. Usamos também o conceito de Ayrton Senna antes de chegar à Fórmula 1 na década de 1980 com o chamado Brazilian Goods, levando marcas e produtos brasileiros para todo o circuito”, disse Flávio Perez, coordenador do Barco Brasil.


O profissional de mídia e marketing esportivo foi media manager da The Ocean Race por três temporadas, cuidou da comunicação da Transat Jacques Vabre por quatro edições, além da Rio 2016, Semana de Vela de Ilhabela e Tour de France.

Comments


bottom of page