Imagem com Logo e Redes Sociais do Mundo Mar

Turismo e Sustentabilidade os Temas Centrais do Salão Náutico de Genova 2021

TURISMO NÁUTICO ENTRE OS PRIMEIROS SETORES PARA IMPULSIONAR A RETOMADA DA ECONOMIA DO PAÍS



No 61ª Salão Náutico de Genova aconteceu a VIII Conferência Nacional de Turismo Náutico, com enfoque nas tendências do mercado e as questões cruciai para retomada forte..

Embora a indústria náutica passe por um momento de grande crescimento e, de maneira geral, o setor seja um dos que melhor resistiu à crise pandêmica, continuando a representar um pilar do Made in Italy e da economia italiana, o segmento de turismo continua sofrendo, ambos pela perda de parte de clientes estrangeiros devido às medidas anticovid, e por algumas deficiências regulatórias. É necessária uma política global para o turismo costeiro, assim como medidas que se estendam a todos os componentes da cadeia do turismo que ainda não beneficiaram de instrumentos de ajuda governamental.

O mar é um recurso econômico vital para a ' Itália, um bem ambiental a ser preservado através de mecanismos eficazes de proteção e a proteção das áreas marinhas costeiras mais sensíveis, disse a presidente Lalli . Daqui surge também a necessidade de identificar profissionais cada vez mais capazes de explorar profundamente a náutica de forma mais geral o mundo marítimo e o pedido ao Governo para lidar com a revitalização do setor do turismo marítimo e náutico, um dos primeiros setores a impulsionar o reinício do país ". comenta a Presidente da Federturismo Confindustria, Marina LalliApós uma década de mercado nacional fraco, sublinhou o presidente da Assomarinas Roberto Perocchio, os portos turísticos estão recuperando o volume de negócios graças ao turismo local, mesmo que ainda não tenham atingido os níveis anteriores a 2008 e nem mesmo os de 2018. O que os operadores agora esperam do Governo para o reinício é a possibilidade definitiva do equilíbrio sobre o litígio relativo às rendas anteriores, a proteção da regulamentação nacional para a prorrogação das concessões até 2033 e a possibilidade de proceder a requalificações e dragagens com o PNRR ”. L ' on. Marco buratti relembrou o trabalho parlamentar realizado com a aceitação, no Decreto de agosto, da norma que encerrou a controvérsia sobre a majoração retroativa dos aluguéis públicos das marinas, em vigor desde 2007. Resta o diferimento do eventual vencimento dos cálculos a ser resolvido, muito mais depois de uma temporada desastrosa como a de 2020 que não conseguiu recuperar o bom desempenho de 2021. O senador Massimo Mallegni lembrou como os prefeitos ficaram sozinhos nesta batalha e, no que diz respeito à questão da prorrogação de concessões até 2030, prometeu um novo compromisso vinculativo do Parlamento, se necessário. Conforme destacado pelo prof. Zunarelli, os mesmos regulamentos comunitários reconhecem os portos, incluindo os portos turísticos, como difusores do perímetro da Diretiva Serviços conhecido como Bolkestein. Por isso, as operadoras pedem o retorno a outras formas de evidenciação pública e procedimentos de transparência, como os que sempre regulamentaram o setor.


A programação das conferências do Fórum continuou com “As redes de negócios náuticos ”, a atualização do mapeamento das redes do setor pela RetImpresa".


É preciso criar um sistema - declarou Alessandro Gianneschi, vice-presidente e presidente do setor de acessórios da Confindustria Nautica. Considerando que 25% dos barcos mundiais circulam nos EUA, é importante criar redes para reagrupar as compras, por exemplo, na área de acessórios e na participação em feiras".


Carlo La Rotonda, diretor da RetImpresa acrescentou: “ Estou há três anos vindo ao Boat Show para apresentar dados sobre as redes de empresas no setor náutico. Os dados deste ano, mostrou um aumento adicional de redes e parcerias entre as empresas náuticas. Em 2020, os contratos de colaboração entre empresas do setor são + 13% mais que em 2019.

A duração média dos contratos de rede é de 3 anos e 190 dias. Existem 687 empresas náuticas na rede que participam de 572 contratos na rede com mais de 33 mil funcionários. Quase 2 bilhões de valor agregado e mais de 7 bilhões de valor da produção. Os dados atestam o caráter multissetorial do setor e das ligações com as demais cadeias produtivas do país ”.


Riccardo Rotundo, da ReteImpresa - área de Startup, Inovação e Novas Tecnologias, ilustrou a plataforma Red (Redes e Dados) que permite consultar os principais dados sobre contratos de rede, visualizando-os de forma interativa: “digitalizamos, com a colaboração da Unioncamere, todos os negócios de redes em uma lógica de inovação aberta. Os dados da plataforma são atualizados mensalmente. A plataforma RetImpresa é, em vez disso, dedicada a start-ups que podem enviar suas ideias. No momento existem mais de 100. Ele é um mercado onde start-ups pode colocar suas idéias no centro através da construção de colaborações em conjunto com a possibilidade de obter também uma certificação blockchain ".



Sustentabilidade ambiental e proteção da biodiversidade foram os temas centrais das oficinas que completaram a programação de eventos do 61º Salão.


"RINAutic Live: Nautica, meta verde", da RINA Services, sobre a promoção da sustentabilidade ambiental na navegação, Um evento itinerante, que visa sensibilizar a opinião pública e os profissionais para o "objetivo verde", ou a descarbonização dos motores marítimos. a uma série de alternativas válidas como a combustão interna com combustíveis alternativos (hidrogênio, metanol), propulsão elétrica e híbrida. Um futuro a ser escrito, de excepcional importância estratégica, que diz respeito a todos os setores do setor náutico e muito mais.

No palco, ao lado dos representantes do RINA, também Stefano Pagani, chefe do Departamento de Pesquisa da Confindustria Nautica.


O programa foi encerrado com o workshop “Cascos limpos - essenciais para a navegação sustentável e a biodiversidade marinha ” organizado pelo ICOMIA, Conselho Internacional das Associações da Indústria Marinha, representado por Albert Willemsen.


O evento, que também contou com a presença de Stefano Pagani Isnardi , chefe do Gabinete de Estudos da Confindustria Nautica, Jasmine Ferrario, projeto IMO GloFouling, Simone Garofoli, Grupo Boero, Roberto Perocchio, Presidente Assomarinas, Fabio Terzaghi, Keelcrab, destacou a necessidade crescente de preservar a biodiversidade marinha, controlando o risco causado por espécies invasoras que podem viajar em navios e barcos de recreio.


Visita oficial ao Salão Náutico da Ministra dos Assuntos Regionais e Autonomias, Mariastella Gelmini que afirmou: “ Estou muito feliz por estar aqui no 61º Salão Náutico, um evento significativo porque é um símbolo de saber fazer, excelência e retoma . Apraz-me constatar o grande empenho e atenção das empresas náuticas à sustentabilidade, tema extremamente atual e que está no centro do plano de recuperação nacional do país ”.


A cobertura do Salone Náutico di Genova você vê nos canais no Mundo Mar


Por: Redação Mundo Mar

Fotos: Divulgação