top of page
Blue Ocean Elegant YouTube Channel Art (8).png

SSL Gold Cup: Hungria leva inédita Copa do Mundo de Vela



A seleção da Hungria conquistou, neste domingo (3), o título inédito da SSL Gold Cup, a chamada Copa do Mundo da Vela. O evento inédito foi realizado em Las Palmas, Gran Canárias, na Espanha, e contou com 56 nações, que tiveram barcos rigorosamente iguais nas disputas.


Os húngaros apelidados de Xamãs ganharam a regata final, superando Itália e Holanda, que ficaram com a prata e o bronze respectivamente. A Espanha, que corria em casa, foi a quarta colocada.


O jovem time comandado por Zsombor Berecz veio das oitavas-de-final teve uma rápida recuperação na regata decisiva após uma largada ruim. Após um erro da armada espanhola, os húngaros conseguiram contornar a primeira bóia já na liderança e não largaram mais.


Após 45 minutos de prova, com ventos de fraca intensidade e muito sol, a tripulação da Hungria fez sua festa no Real Club Náutico de Gran Canárias regata por uma bateria de escola de samba local.


''O segredo do sucesso foi o nosso trabalho em equipe. O formato da SSL Gold Cup é inovador e nos deu a chance de mostrar o talento dos atletas húngaros para o mundo. Estamos muito felizes por esse resultado'', contou Zsombor Berecz, medalhista de prata em Tóquio 2020 na classe Finn.


Os italianos celebraram o resultado de segundo lugar, depois de eliminarem Brasil e Nova Zelândia. Liderada por Vasco Vascotto, os Gladiadores chegaram a estar em último, mas após o distanciamento dos húngaros fizeram um match race com os holandeses.


''Não podemos negar que a Hungria mereceu essa vitória. Fizeram um ótimo trabalho, assim como todos que chegaram às finais. O evento foi um sucesso, principalmente pela ampla participação de crianças aqui na Espanha nos vendo''.


O Brasil - chamado de Brazilian Storm - finalizou entre as oito melhores seleções do mundo na inédita SSL Gold Cup, após as semifinais disputadas no sábado (2). A Seleção Brasileira de Vela foi liderada por Robert Scheidt e Martine Grael, e teve como coach e CEO, Bruno Prada. O time contou ainda com André Fonseca, Gabriel Borges, Henry Boening, Juninho de Jesus, Mario Tinoco, Alfredo Rovere, Henrique Wisni, Pedro Trouche e Gabriel Kieling.


''Os húngaros leram bem o vento e conseguiram levar esse título. É bom ver uma nação considerada pequena vencendo um evento deste porte. Nós brasileiros estamos felizes pelo resultado, mesmo não chegando a grande final. Montamos um time e espero que a gente volte a competir em breve'', contou Robert Scheidt.


A vela brasileira também foi representada por Ricardo Navarro. O catarinense foi o presidente da Comissão de Regata e ajudou a organizar todas as provas das fases de eliminatórias e finais. Só em Las Palmas foram feitas 65 regatas em 25 dias das finais.


''Nós fiscalizamos tudo do início ao fim. Os barcos foram iguais para todos e escolhemos as velas que eles usaram. Assim, um país emergente pode competir contra uma potência em condições idênticas. Ganharam os melhores e essa é a filosofia da SSL Gold Cup''.


A SSL Gold Cup é um evento especial da World Sailing e contou com as melhores 56 nações de vela no mundo. Após os mata-matas, apenas restaram os quatro países finalistas: Espanha, Hungria, Itália e Holanda.


Com semelhança das principais Copas do Mundo em outros esportes, a SSL Gold Cup foi um evento de igualdade de oportunidades com barcos SSL47. O barco brasileiro ganhou em 2022 o patrocínio da Sertrading, uma das maiores empresas de comércio exterior do país, e da Subsea 7 S.A., que apoiam o time. Além da marca de mochilas e equipamentos para atividades outdoor Allcatrazes.


A união entre Sertrading e Subsea 7 S.A com a Seleção Brasileira de Vela foi idealizada por Bruno Prada, companheiro de Robert Scheidt nas medalhas de Pequim 2008 e Londres 2012, e CEO do barco brasileiro.

bottom of page