Imagem com Logo e Redes Sociais do Mundo Mar

CBVela programa fóruns de Treinadores e Gestores da Vela Jovem em 2022 em Pernambuco e São Paulo


A CBVela - Confederação Brasileira de Vela ampliou as opções de capacitação de profissionais para a pratica da modalidade no alto rendimento e no esporte de base. Após a realização do I Fórum de Treinadores e Gestores da Vela Jovem, em janeiro, em Paulista (PE), durante a Copa da Juventude, a entidade confirmou para outubro, em Ilhabela (SP), mais uma edição do treinamento durante a Copa Brasil na Escola de Vela Lars Grael.


A primeira edição contou com participação de mais de 50 pessoas, incluindo ex-velejadores de alto rendimento, treinadores e gestores da região Nordeste. O evento foi organizado pela Área Técnica da CBVela, com objetivo de discutir as estratégias esportivas do Programa de Vela Jovem da entidade e dos clubes no Brasil.


Os fóruns seguem a política de capacitação de profissionais que praticam a modalidade, para que o País siga como referência mundial da vela. Além das 19 medalhas olímpicas, títulos mundiais incontáveis e realização de grandes eventos, o Brasil forma especialistas em vela, da arbitragem à gestão, com participações em grandes eventos mundiais.


"É sempre muito importante para nós escutar e trocar ideias de como melhorar mais ainda o sistema da prática esportiva para nossas categorias de base. Foi uma excelente oportunidade para interagir com os treinadores e gestores dos clubes que estão na água trabalhando com nossos atletas da vela jovem", disse Juan Sienra, gerente técnico da CBVela.


Só em janeiro de 2022, a Confederação Brasileira de Vela entregou sete eventos de ponta para os jovens atletas da modalidade. Pernambuco, Paraíba e Espírito Santo receberam competidores em classes de introdução à vela como o Optimist e o Snipe, uma das categorias mais prestigiadas. Em fevereiro, o destaque foi a Copa Internacional de Kitesurf em Araruama (RJ).


Outro destaque de outubro foi o atleta Mateus Isaac, na classe IQ Foil. O velejador, líder do ranking mundial da categoria, finalizou na terceira posição o Lanzarote Foil Challenge, na Espanha. O evento foi um desafio de 80 milhas náuticas com seis etapas e uma duração de 9 horas aproximadamente. A regata começou no Faro de Pechiguera e finalizou na Marina Rubicon. Também em destaque a atleta Giovanna Prada, que foi uma das únicas duas mulher em participar deste desafio.


Academia

Outra iniciativa que faz parte do calendário da CBVela há mais de três anos é a Academia Brasileira de Vela, que tem como foco promover ações de capacitação, nivelamento, reciclagem e aperfeiçoamento dos profissionais que dedicam suas vidas para formar pessoas apaixonadas pelo esporte. Os cursos estão espalhados pelas marinas e iates clubes brasileiros e a agenda de 2022 será divulgada nos próximos dias.


A CBVela ministra Cursos para professores e técnicos, baseados nos programas da Federação Internacional de Vela (World Sailing) e certificados pela entidade, de forma a capacitar e melhorar o nível dos professores e técnicos no Brasil.


As clínicas têm como objetivo aprofundar os conhecimentos já adquiridos para uma boa formação do instrutor de vela, além de ensinar aos profissionais como desenvolver e gerenciar uma aula padronizada, com foco em práticas seguras, agradáveis e aprendizado dos alunos, com cursos de iniciação até treinamento para regatas.


Sobre a CBVela


A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB).


A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: oito. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 19 medalhas em Jogos Olímpicos.