Imagem com Logo e Redes Sociais do Mundo Mar

Austrália ganha a temporada 2021 da Sail GP


A Austrália venceu o Campeonato de SailGP pelo segundo ano consecutivo derrotando o Japão e os Estados Unidos na Grande Final, que ocorreu em São Francisco, na Califórnia.


Os australianos comandados por Tom Slingsby derrotaram condições incrivelmente difíceis para saírem com mais um título, repetindo o feito de 2019.


Os cangurus foram dominantes em todo evento batizado Mubadala Sail Grand Prix a bordo dos catamarãs voadores


O Japão tinha Nathan Outteridge no comando e os EUA o multicampeão de America's Cup Jimmy Spithil.


O dia final na Baía de São Francisco teve colisões entre a França e a Nova Zelândia e a Espanha e os EUA, enquanto duas regatas foram abandonadas e reiniciadas - incluindo a própria Grande Final devido a uma baleia entrar na raia.


Mas, uma vez que a prova foi reiniciada, os australianos superaram toda essa adversidade para provarem o talento da Oceania na vela.


“Nunca vimos esse nível na raia em nenhum lugar do mundo”, disse Tom Slingsby. "Você sempre fala sobre 'Quem é o melhor velejador do mundo?', mas estar aqui com todos os barcos iguais faz com que seja enorme para mim e que a Austrália tenha saído campeã''.


"Podemos nos considerar os melhores velejadores do mundo. Isso é mais importante do que dinheiro".


Apesar de perder na final, os Estados Unidos conseguiram correr, tendo sofrido sérios danos no casco quando os espanhóis colidiram com seu barco durante a prova de abertura do dia.


Mas, apesar do rápido trabalho de reparo que garantiu que eles pudessem correr, e um grande número de fãs torcendo por eles da costa, a equipe de Jimmy Spithill só conseguiu um terceiro lugar na final, continuando seu recorde negativo de nunca ter vencido um evento de SailGP.


Enquanto a Austrália comemora seus sucessos consecutivos, eles também devem começar a se preparar para a defesa do título com a terceira temporada começando em pouco mais de um mês, com o Bermuda Sail Grand Prix ocorrendo de 14 a 15 de maio.


Texto: Flávio Perez